Pular para o conteúdo
Como escrever um livro? Passo a passo detalhado

Como escrever um livro: passo a passo detalhado

Você sempre quis escrever um livro, mas nunca soube como concretizar esse sonho? Talvez tenha até começado, mas desistido no meio do caminho. Se esse é o seu caso, não se preocupe, este artigo foi feito para você!

Escrever um livro é uma das conquistas mais gratificantes que alguém pode alcançar, mas requer muito planejamento, dedicação e criatividade. Para muitos autores iniciantes, até mesmo alguns já experientes, é difícil começar a escrever, um desafio ainda maior continuar escrevendo e quase impossível finalizar uma obra.

Esteja você começando sua jornada como escritor ou buscando aprimorar suas habilidades, seguir um processo estruturado pode ajudar a transformar suas ideias em um livro completo. Pensando nisso, este artigo apresenta um passo a passo detalhado de como escrever um livro.

Fique com a gente e desbrave o mundo da escrita!

Como escrever um livro

Defina sobre o que quer escrever, e por que

Antes de começar a escrever, é essencial definir o tema do seu livro. Pergunte a si mesmo sobre o que você gostaria de escrever e por que. A partir dessas perguntas, você define o tema e o propósito de sua obra.

Deseja entreter, informar, educar, inspirar, incomodar, fazer gargalhar ou promover uma reflexão? Que emoções e pensamentos quer causar com a leitura? Seja sua escrita mais pessoal, para desafogar a si próprio; ou inspiracional, para atingir seus leitores, é importante ter isso em mente antes de começar a escrever.

Seu tema pode ser simples como dinossauros e ter o propósito de fazer uma criança sorrir. Sendo assim, você poderia escrever um livro infantil sobre dinossauros com uma pegada mais cômica. Caso o objetivo fosse informar, seria outro tipo de livro, mais sério e científico, apresentando a história e anatomia dos dinossauros, por exemplo.

A partir de uma ideia, podem-se desdobrar diversos propósitos e obras. Por isso, ter um objetivo claro ajuda a manter o foco durante todo o processo. Conhecer o tema e propósito de sua escrita orientará suas decisões sobre estilo, tom e estrutura.

Como achar o tema do meu livro?

Se não sabe sobre o que escrever, aqui vai um exercício simples: abra um documento em branco, coloque 5 minutos no cronômetro e escreva todas as ideias para livros que tiver durante esse período. 

Não se preocupe com a qualidade dos temas, nem mesmo se fazem sentido ou não. O objetivo é destravar sua cabeça e permitir que as ideias fluam livremente. Ao final, você terá uma lista de potenciais temas e poderá escolher o que lhe traz mais vontade de escrever, ou o que achar mais interessante junto ao seu propósito.

Outro modo de achar seu tema é analisando sobre o que você gosta de ler, assistir ou ouvir. Tome como inspiração as formas de arte que consome, analise os pontos que abordam e considere escrever sobre eles.

Atenção: você deve ter essas obras como inspiração, abordando seus assuntos de uma nova forma, sob sua própria perspectiva e propósito. Não copie a ideia de ninguém, mas sim torne-a sua e única através do seu ponto de vista.

Você também pode acessar a internet e buscar ideias para novos livros, através de prompts de escrita. Aqui no Blog da Viseu, temos uma lista com 30 ideias para histórias que você pode utilizar para começar a escrever agora mesmo!

Como achar o propósito do meu livro?

Esta é uma questão mais complicada e pessoal. A verdade é que o propósito do seu livro deve vir de você. Deve ser algo pelo qual você tem muita paixão e vontade de realizar, pois escrever um livro demanda tempo, esforço e estudo.

O propósito do seu livro deve estar alinhado com seus objetivos pessoais, mas também profissionais. Pode ser subjetivo, de cunho financeiro ou mais social, simples ou complexo, mas deve vir de você. O que quer causar com seu livro? Qual impacto deseja que tenha nos leitores, mas também em sua vida?

Ter a razão pela qual você começou seu livro sempre por perto pode ser uma fonte de inspiração e energia quando você encontrar obstáculos. Faça uma nota com seu propósito e a cole em seu ambiente de escrita, para se lembrar constantemente do por quê de seu livro. Isso torna seu trabalho como autor mais direcionado e impactante.

Escolha seu gênero literário

O gênero literário determina a estrutura e o estilo do seu livro. A partir do tema e do propósito de sua obra, fica mais fácil encaixá-la em um desses gêneros. Também é através dele que seu público-alvo ficará mais claro.

Para escolher seu gênero, pesquise o mercado para entender quais deles estão em alta, quais têm uma base de leitores leal e quais são as principais características de suas obras. 

Faça uma pesquisa sobre o público desse gênero. Isso inclui entender as faixas etárias, interesses e hábitos de leitura desses leitores

Cada gênero tem suas convenções e expectativas. Entender essas regras pode ajudá-lo não só a entregar o que o público espera, mas também a surpreendê-los de maneiras criativas através da subversão dessas normas.

Aqui estão alguns dos gêneros e subgêneros que você pode escolher:

  • Ficção: obras baseadas na imaginação do autor, envolvendo personagens, eventos e cenários inventados
  • Não-ficção: livros baseados em fatos reais, incluindo relatos, ensaios, reportagens e documentários
  • Infantil: livros escritos para crianças, abordando temas e histórias apropriadas para a faixa etária, muitas vezes ilustrados
  • Romance: narrativas longas que exploram o desenvolvimento de diversas subtramas, personagens e suas interações, muitas vezes centradas em histórias de amor
  • Ficção científica: histórias fictícias que incorporam elementos científicos e tecnológicos avançados, explorando futuros possíveis e mundos alternativos
  • Fantasia: narrativas que envolvem elementos mágicos, criaturas sobrenaturais e mundos imaginários
  • Autoajuda: livros que oferecem conselhos, incentivos e estratégias para melhorar a vida de seus leitores
  • Biografia/Autobiografia: relatos detalhados da vida de uma pessoa real, escritos por outra pessoa (biografia) ou pelo próprio indivíduo (autobiografia)
  • Poesia: obras literárias compostas por versos, explorando a linguagem de maneira expressiva, sensível e emocional
  • Contos e crônicas: narrativas curtas que focam em eventos específicos ou reflexões sobre o cotidiano, podendo ser fictícias ou baseadas em fatos reais
  • Técnico/Científico: textos que abordam temas especializados em áreas como ciência, engenharia e tecnologia, frequentemente escritos por especialistas com objetivo de informar ou educar os leitores
  • Carreira e negócios: livros que oferecem insights, técnicas e direcionamentos sobre desenvolvimento profissional, gestão e empreendedorismo

Dentro desses, há ainda muitas segmentações. Só nos livros de romance, existem milhares de nichos literários nos quais se encaixar, cada um com uma diferente comunidade de leitores e normas.

Não se esqueça de alinhar o gênero literário ao seu tema e propósito. Se seu propósito for emocionar seus leitores, muito dificilmente escreverá um livro científico, por exemplo. Tenha sempre em mente sobre e pelo quê está escrevendo.

Leve em consideração também o que você gosta de ler e o que mais conhece. Todo bom escritor é, primeiro, um ávido leitor. Encare essas leituras não só como uma forma de passar tempo ou de se informar, mas também como um modo de estudar sua própria escrita.

Desenvolva sua escrita criativa

Agora que já sabe seu gênero, propósito e tema, é hora de desenvolver sua escrita criativa. Dedique um tempo para estudar técnicas de escrita e a arte de escrever, para que consiga achar seu próprio tom e estilo de escrita únicos. 

O primeiro passo é manter uma mente criativa e cheia de ideias. Para isso, você pode buscar inspirações em todos os lugares, mas principalmente em outras obras de arte. Consuma pinturas, música, filmes, séries e, claro, livros. Assim, você adquire inúmeras referências que podem te ajudar na hora de criar a própria história.

Além de desenvolver sua criatividade, você deve exercitar e nutrir sua própria escrita. Saia para caminhar e leve um caderninho com você. Escolha algo que chame sua atenção e narre a pessoa, acontecimento ou paisagem que lhe instigou.

A partir desse exercício, você vai descobrindo qual seu estilo de escrita e como gosta de usar as palavras. Você pode ir aprimorando cada vez mais seu tom de voz, desafiando-se a narrar coisas cada vez mais complexas e se aventurando ao inserir elementos fictícios nessas narrações, por exemplo.

Não se esqueça de estudar também aspectos mais técnicos da escrita, como gramática e ortografia. Um texto bem escrito é imprescindível para passar a mensagem que deseja a seus leitores. Estude pontuação, concordância, tempo verbal e figuras de linguagem para saber como aplicá-los em seu livro.

O gênero literário que você escolheu também pode ser um grande guia nesse quesito. Estude as obras do seu gênero e observe as similaridades e diferenças entre os diversos autores. O que é essencial para o gênero? No que você pode inovar? 

É normal ter períodos de “trava” no processo de escrita. O bloqueio criativo é, infelizmente, muito comum entre os escritores. Se estiver passando por esse problema, confira 15 dicas para acabar com seu bloqueio criativo

Pesquise seu tema

Pesquisas detalhadas podem enriquecer seu livro, adicionando autenticidade e profundidade à obra. Se a sua história se passa em um local real, período histórico específico ou aborda temas complexos, invista tempo em pesquisas para garantir precisão e realismo.

Isso é especialmente importante caso você queira escrever um livro de não-ficção, como no caso de livros científicos, biografias e livros de carreira e negócios.

Baseie-se em fontes confiáveis, como livros, artigos acadêmicos e entrevistas com especialistas. Assim, assegura a veracidade e qualidade dos fatos que está apresentando a seus leitores. Você pode utilizar o Google Acadêmico para as pesquisas de seu livro.

A pesquisa não se limita apenas a informações factuais. Ela também pode envolver a compreensão de culturas, comportamentos e hábitos que são relevantes para sua história. Portanto, escritores de livros de ficção também devem realizar pesquisas extensivas para suas obras.

Se seu personagem tem uma profissão, por exemplo, entender as rotinas diárias e desafios da área adiciona camadas de autenticidade. Converse com profissionais, leia relatos e assista documentários para entender como seria o dia-a-dia de seu personagem.

A verossimilhança de uma história torna os leitores mais envolvidos com a trama. Quanto mais seus personagens, lugares e relações parecerem reais, mais os leitores irão se emocionar com seu livro.

Atenção: incorporar a pesquisa de maneira suave e natural na sua narrativa é imprescindível. Evite sobrecarregar o leitor com informações excessivas. Em vez disso, integre os detalhes pesquisados de maneira que eles enriqueçam a história sem interromper o fluxo da leitura. A pesquisa deve servir a história, não dominá-la.

Crie personagens memoráveis

Personagens memoráveis são essenciais para uma narrativa envolvente. Dê aos seus personagens personalidades, motivações e conflitos. Eles devem ser desenvolvidos, complexos e críveis, pois sua história acontece ao redor deles.

Personagens bem construídos, com conflitos internos e uma jornada de evolução atraem os leitores e os mantêm investidos na história. Crie fichas de personagem detalhadas que incluam histórico, aparência, traços de personalidade e objetivos. 

Essas fichas devem ser completas e extensas, principalmente para seus personagens principais, mas não é necessário inserir todos os detalhes na história. Deixe alguns elementos de mistério para seu leitor e evite o excesso de informações.

Um dos lemas mais importantes na construção de narrativas e personagens é o “mostre, não fale”. Portanto, utilize a ficha para criar o personagem e com base nela insira suas características de modo natural na trama.

O importante é que você conheça seus personagens inteiramente, de modo a saber seus gostos, reações, jeito de falar e motivos. Assim, a história também flui mais facilmente, pois você sabe exatamente como seu personagem se comportaria naquela situação.

Evite começar a narrativa já descrevendo a aparência física e prefira demonstrar traços de personalidade através de ações e falas. Ao invés de escrever “João era engraçado”, faça João fazer uma piada, por exemplo. Os diálogos são uma ferramenta poderosa para revelar a personalidade dos personagens

Desenvolver personagens memoráveis também envolve pensar sobre sua evolução na história e como eles se interligam com a trama. Considere como seus personagens mudam, se relacionam e crescem ao longo da história.

Materiais para desenvolvimento de personagens

Com tantas coisas às quais se atentar, você pode ficar um pouco perdido. Aqui estão alguns materiais que podem ajudar você a criar personagens mais profundos e memoráveis:

Faça um esboço da trama

O esboço da trama é um roteiro que descreve os principais eventos do seu livro, desde o início até o fim. Divida a história em capítulos e descreva brevemente o que acontecerá em cada um deles.

Isso ajuda a manter a estrutura e a coerência da narrativa. Um esboço coerente e objetivo pode evitar bloqueios de escrita, fornecendo um mapa claro do seu livro. Assim, você não fica perdido em sua própria história.

Existem diferentes métodos para criar um esboço da trama, desde esquemas detalhados até abordagens mais flexíveis. Encontre o que funciona melhor para você, de acordo com seu tipo de escrita.

Revisar e ajustar seu esboço ao longo do processo também é importante. À medida que você desenvolve sua história, pode encontrar novas ideias e direções que exigem ajustes no plano original. Mantenha-se aberto a novas perspectivas e caminhos.

Uma das partes mais importantes em um esboço é definir o conflito central da sua história. É o conflito que impulsiona a trama e mantém os leitores engajados, portanto, deve ser um dos pontos de maior atenção ao planejar sua história.

Pode ser um conflito interno, como uma luta emocional do personagem, ou um conflito externo, como um desafio ou adversário que o personagem precisa enfrentar. O essencial é que seja integrado na história e culmine em um clímax que faça sentido para a narrativa.

Além disso, considere os temas subjacentes da sua história. Quais mensagens ou questões você quer explorar através do seu livro? Subtramas bem pensadas dão profundidade à sua narrativa, fazendo com que ressoe nos leitores em um nível mais profundo.

Estabeleça uma rotina de escrita

Escrever um livro exige disciplina. Estabeleça um cronograma de escrita realista, definindo metas diárias ou semanais para manter o progresso constante. 

Comprometa-se com seu cronograma e trate-o como uma prioridade. A consistência é a chave para completar um manuscrito longo. Quanto mais familiar e rotineira se tornar a escrita, mais fácil será para você desenvolver sua história.

Durante seus momentos de escrita, evite distrações. Se estiver escrevendo no computador, bloqueie sites que podem tirar seu foco, coloque seu celular no silencioso e avise familiares e amigos que estará indisponível naquele momento. Assim, seu livro tem todo o foco que precisa.

Identifique os melhores momentos do dia para escrever. Alguns escritores preferem escrever de manhã cedo, enquanto outros encontram inspiração à noite. Descubra o que funciona melhor para você e tente escrever nesses horários sempre que possível.

Além disso, celebre pequenas vitórias ao longo do caminho. Completar um capítulo ou alcançar uma meta de palavras são conquistas que merecem reconhecimento. Tome um pouco de tempo para se congratular antes de pular para a próxima tarefa.

Você pode definir um sistema de pequenas recompensas para si mesmo, por exemplo. A cada meta alcançada, presenteie-se com algo pequeno. Essas celebrações ajudam a manter sua motivação e moral alta, incentivando você a continuar escrevendo.

Encontre seu ambiente ideal

Um ambiente de escrita confortável e livre de distrações é essencial para a produtividade. Encontre um lugar onde você possa se concentrar e escrever sem interrupções.

O ambiente ideal varia de pessoa para pessoa. A ambientação vai além do local onde você se encontra, mas também de como está organizado, decorado, quais são os cheiros e sons ao seu redor. 

Personalize seu espaço para torná-lo inspirador e acolhedor. Você pode colocar uma música de fundo, por exemplo, ou preparar uma bebida quente logo antes de começar a escrever. Um espaço ou ritual dedicado à escrita pode ajudar na criação da sua rotina e de um ambiente propício à criatividade.

É importante manter seu espaço de escrita organizado. Um ambiente desorganizado pode ser uma fonte de distração. Tenha todos os seus materiais de escrita à mão e crie um espaço que facilite o fluxo de trabalho.

Esse ambiente ideal pode ser seu quarto ou escritório, mas você também pode experimentar escrever em outros lugares. Uma mudança de ares tem a capacidade de fomentar sua criatividade. 

Alguns escritores se sentem inspirados pelo silêncio envolto em livros de uma biblioteca, enquanto outros têm suas melhores ideias em um café movimentado. Experimente diferentes ambientes até encontrar aquele onde você se sente mais inspirado, confortável e focado.

Comece a escrever

Em seu ambiente de escrita, com seu esboço e pesquisa em mãos, coloque em prática a rotina que definiu e comece o primeiro rascunho. Não se preocupe com a perfeição no início, o objetivo é colocar suas ideias no papel.

Nessa etapa, sinta-se livre para explorar diversos caminhos possíveis para seu livro. Experimente com personagens, faça duas versões de um mesmo capítulo, crie diálogos e teste estilos de escrita. O importante é ter bastante material escrito, para poder aprimorar e editar mais tarde.

Uma técnica que você pode utilizar é a do fluxo de consciência. É um modo mais livre de escrever, seguindo seus próprios pensamentos ou se colocando dentro da cabeça de seu personagem.

Escreva de forma contínua, sem interromper para corrigir erros ou revisar. O primeiro rascunho é apenas isso: um primeiro rascunho. Não se pressione e permita-se a liberdade de escrever sem autocensura.

O medo de cometer erros pode paralisar o processo criativo.Você terá muitas oportunidades para revisar e melhorar o texto. Deixe as etapas de revisão e edição para depois e apenas aproveite o processo de criar.

É aqui que a rotina de escrita torna-se necessária. Tente alcançar sua meta diária ou semanal para manter o ritmo de escrita. Mesmo que você não alcance sua meta todos os dias, ter um objetivo ajuda a manter o foco e o progresso. Aos poucos, seu livro vai tomando forma.

Revise, edite e reescreva

Depois de concluir o primeiro rascunho, reserve um tempo para descansar antes de começar a revisão. Assim, você evita o olhar viciado de autor e deixa que seu cérebro respire, permitindo que enxergue a obra com novos olhos. 

Revise seu manuscrito de maneira crítica, corrigindo erros gramaticais, ortográficos e de pontuação. Reescreva seções conforme necessário para melhorar a clareza e o fluxo do texto.

A revisão não se limita apenas à correção de erros de português. Considere também a estrutura e o ritmo da narrativa. Revise os diálogos para garantir que sejam naturais e autênticos. 

Preste atenção especial às cenas-chave e aos momentos de clímax da trama. Essas partes devem ser especialmente bem elaboradas para capturar a atenção do leitor e proporcionar uma experiência memorável. 

Outro ponto importante é a consistência de seu livro. Certifique-se de que detalhes como nomes de personagens, locais, datas e outros elementos recorrentes sejam consistentes ao longo de todo o manuscrito. Pequenos erros de continuidade podem confundir e frustrar os leitores.

Mantenha uma lista ou um banco de dados de personagens, locais e eventos importantes para evitar inconsistências. Isso é especialmente útil em livros longos ou séries, onde manter a continuidade pode ser desafiador.

Além de detalhes factuais, verifique a consistência no estilo e no tom do seu livro. Certifique-se de que a linguagem e a voz narrativa permaneçam uniformes, a menos que haja uma razão específica para uma mudança estilística.

Editar o texto também envolve cortar partes desnecessárias. Seções que não contribuem para o desenvolvimento da trama ou dos personagens devem ser eliminadas ou condensadas. Um texto mais enxuto e focado tende a ser mais envolvente e eficaz.

Esta é uma das etapas mais demoradas na escrita de um livro. Pode ser útil fazer várias rodadas de revisão, focando nesses diferentes aspectos do texto de cada vez.

Procure feedback externo

Após terminar suas rodadas de revisão, busque o feedback de outras pessoas. Ouvir diferentes perspectivas pode ajudá-lo a identificar pontos fracos e oportunidades de melhoria que você não havia percebido.

Uma das melhores formas de receber feedback é através de leitores alfa e beta online, normalmente outros escritores ou leitores muito envolvidos na comunidade literária. Peça críticas construtivas e mantenha a mente aberta para ouvir as opiniões dessas pessoas.

Você também pode procurar por grupos de escrita ou workshops em sua cidade. Esses ambientes oferecem um espaço colaborativo onde você pode discutir seu trabalho com outros escritores e receber feedback contínuo ao longo do processo de escrita.

Quando receber feedback, é importante estar disposto a fazer mudanças. Mesmo críticas que parecem duras podem ser usadas para melhorar seu trabalho. Considere cada comentário cuidadosamente e decida se e como incorporá-lo de maneira que beneficie sua história.

Polimento final do manuscrito

Depois de realizar as alterações a partir dos comentários que recebeu, é chegada a etapa final da escrita. Uma última revisão do material garante que ele esteja pronto para ser enviado a editoras ou publicado.

Leia a obra novamente para eliminar quaisquer erros remanescentes e garantir que realizou corretamente as alterações. Atente-se aos pontos indicados pelo feedback e, se necessário, retorne o material aos seus leitores alfa e beta para uma última olhada.

Aplicadas todas as alterações apontadas pela leitura alfa e beta, considere contratar um revisor profissional para essa etapa. Um par de olhos frescos, qualificados e experientes capta os erros que você e seus leitores podem ter perdido. 

Com o material revisado finalizado em mãos, faça uma última leitura por conta própria. Cheque com atenção todos os pontos vistos acima. Se julgar que o livro está em sua melhor forma possível, atendendo ao propósito que definiu lá no início, você estará pronto para compartilhar seu livro com o mundo!

Envie seu manuscrito a uma editora

O objetivo final de qualquer escritor é ver sua obra publicada. Ao finalizar seu manuscrito, faça uma pesquisa acerca das maiores editoras do país e envie seu material a elas.

Formate o texto conforme as diretrizes da editora escolhida. Algumas editoras também pedem uma carta de apresentação para os autores, ou aceitam apenas uma sinopse da obra. É importante se atentar às normas de envio de originais da casa editorial selecionada.

Não se esqueça de checar a linha editorial da editora e se ela está aberta a receber originais no momento. Muitas das grandes editoras do Brasil só publicam obras que chegam até elas por meio de agentes literários, por exemplo.

A Editora Viseu está sempre aberta para o recebimento de originais. Focada em novos autores, publicou mais de 7.000 obras e vendeu mais de 2,5 milhões de exemplares em seus mias de 12 anos de experiência no mercado editorial.

Para receber uma análise editorial gratuita de seu original, basta nos enviar seu material finalizado. Nossos editores entrarão em contato com um feedback baseado no gênero, estrutura e conteúdo de sua obra.

Como você pode ver, a escrita de um livro é um processo longo. Da ideia até o esboço, construção de personagens, primeiro rascunho, inúmeras revisões e feedbacks, são muitas as etapas que constroem um livro.

Cada uma dessas etapas contribui para o desenvolvimento da obra e do seu crescimento como escritor. A jornada pode ser longa e cheia de desafios, mas o resultado final vale todo o esforço: um livro com propósito, que você se orgulha de ter escrito.

Quer saber com ainda mais detalhes como escrever e finalizar um livro com sucesso? Confira nosso Guia de Como Escrever um Livro e saiba tudo sobre processos de escrita, estruturas narrativas, técnicas para construção de personagem e muito mais.

Até o próximo conteúdo!

Compartilhar

Outros Artigos

Protagonista: saiba por que ele é fundamental para sua história
Dicas de escrita

Protagonista: como fazer seu personagem principal brilhar

A criação de personagens é uma grande dificuldade entre autores. Muitas são as questões às quais se atentar: verossimilhança, profundidade, falas, personalidade… Esses pontos se

PUBLIQUE SEU LIVRO

Informe seus dados
para iniciar sua jornada
de publicação.
Um de nossos Consultores Editoriais
entrará em contato com você para
conversar melhor e explicar como
você pode publicar o seu livro!