Pular para o conteúdo
Descubra qual seu tipo de escrita

Plotter, pantser e plantser: qual seu tipo de escrita?

Dos que planejam cada detalhe da história aos que escrevem totalmente na base do improviso, é importante para um autor saber como ele prefere criar sua obra. E, a partir daí, saber se tem um tipo de escrita plotter, pantser ou plantser.

Muitos autores tentam se encaixar em uma escrita que não é sua, fazendo com que o desenvolvimento do livro se torne frustrante. Entender bem esses tipos permite a busca de ferramentas e técnicas voltadas para seu estilo específico, evitando dores de cabeça.

Pensando nisso, este conteúdo aborda os tipos de escrita mais comuns, suas dificuldades e facilidades e recursos voltados para cada um deles.

Está pronto para descobrir e desenvolver seu tipo de escrita? Vem com a gente e confira!

Plotter, pantser e plantser: qual seu tipo de escrita?

Plotter: o planejador

O termo “plotter” surge de “plot”, do inglês, que significa enredo ou plano. Um escritor “plotter”, então, seria um planejador. Autores com esse tipo de escrita pensam em cada detalhe de suas obras antes de começar a escrevê-las.

Escrever sem um plano é impossível para esses autores. Eles se sentem perdidos sem uma estrutura a ser seguida fielmente. 

Desdobram-se nas pesquisas, definindo cenário, personagens e cenas de antemão, com muitas especificidades. Um exemplo de escritor com esse estilo é J. R. R. Tolkien.

Vantagens do tipo plotter

As vantagens de ser um plotter são muitas:

  • Menos reescrita e edição, pois o planejamento minimiza muito os erros de continuidade
  • Estancam menos no meio do processo, pois sabem exatamente por onde a história deve seguir
  • Normalmente, seguem fórmulas narrativas com resultado comprovado, com arcos narrativos bem construídos
  • Tem maior noção de quando a obra estará finalizada

 

Por ser um estilo de escrita planejado, os livros produzidos por esses autores são muito bem estruturados. Em obras de fantasia, por exemplo, onde a construção de mundo é imprescindível, esse tipo de escrita é muito bem recebido.

Desvantagens do tipo plotter

Apesar de ser um estilo de escrita organizado, que resulta em obras bem estruturadas, autores desse tipo não estão livres de problemas:

  • Passam muito tempo pesquisando e acabam por não iniciar a escrita de fato
  • Ficam presos demais à estrutura, tornando-se prisioneiros do próprio planejamento
  • Caso precisem ou queiram mudar algo, terão que refazer todo o planejamento novamente

 

É importante estar ciente dos desafios enfrentados por esse tipo de escritor para poder evitá-los. A estrutura criada por um planejador deve ser sólida e bem construída, para que o livro não tenha que ser reescrito completamente por conta de um erro encontrado no final.

Apesar disso, o autor também não deve cair no perfeccionismo, revisando a estrutura e fazendo pesquisas desnecessárias para o livro. É importante não perder de vista o objetivo final de todo esse planejamento, que é escrever.

Recursos para tipo plotter

Existem muitos recursos disponíveis para realizar um planejamento conciso, mas prático. Aqui, apresentamos alguns:

 

Com esses recursos, a escrita para um autor do tipo plotter com certeza se tornará mais fácil!

Pantser: o improvisador

A escrita do tipo pantser é totalmente pautada no improviso. O nome é derivado da expressão em inglês “to fly by the seat of your pants”, que pode ser traduzida como “fazer o que dá na telha”. Autores com esse tipo de escrita escrevem livremente, sem planejamento.

Esses autores não gostam de ficar presos a uma estrutura. Tem uma leve noção da história ou personagem principal, mas improvisam todo o resto. 

Florescem na liberdade desse tipo de escrita, deixando a própria narrativa guiá-los. Um exemplo de escritor com esse estilo é Stephen King.

Vantagens do tipo pantser

Escritores do estilo pantser têm algumas facilidades:

  • Iniciam a escrita mais rapidamente, não dependendo de um planejamento complexo para começar a escrever
  • Têm maior liberdade, podendo explorar os enredos que encontram enquanto escrevem
  • Permitem que os personagens “falem por si mesmos”, guiando a história a partir das ações que parecem naturais a eles, ao invés de encaixá-los em uma estrutura prévia
  • Conseguem usufruir de inspirações mais facilmente, podendo aplicá-las em qualquer parte de seu processo de escrita

 

Seu estilo mais livre abre diversas possibilidades para o autor. Esse tipo de escrita muitas vezes produz livros únicos e mais estilísticos. Livros de poesia ou autobiografias, que são obras mais subjetivas, recebem bem esse tipo de escritor.

Desvantagens do tipo pantser

Toda a liberdade desse estilo vem com um preço. Autores do tipo pantser muitas vezes encontram certas dificuldades:

  • Precisam revisar muito sua obra para que fique coesa e evitar furos no enredo
  • Podem ficar perdidos, sem saber por onde seguir ou como terminar o livro
  • Abandonam projetos mais facilmente, pulando para novas histórias sem finalizar as antigas

 

Sabendo dessas dificuldades, será mais fácil manter-se alerta e contorná-las. A revisão é uma etapa muito importante para escritores desse estilo. É possível contratar uma leitura crítica ou um revisor para auxiliar o autor com essa etapa e garantir que o livro não tenha erros.

É importante não se deixar levar completamente, a ponto de acumular uma pilha de projetos inacabados sempre que uma nova ideia surge. Afinal, a escrita do estilo pantser já permite explorar e desenvolver essas ideias dentro de um único projeto.

Recursos para tipo pantser

Alguns recursos para esses escritores, que prezam a liberdade criativa e não seguem estruturas na criação, são:

 

Com essas ferramentas, escrever como um pantser fica mais simples!

Plantser: o planejador-improvisador

Os estilos de escrita não são caixinhas impenetráveis. Muitos autores encontram-se em um meio termo, uma mistura de plotter e pantser: plantsers.

Esse tipo de escrita pode ter uma estrutura inicial mais flexível; ter personagens com biografias extensas, mas sem um enredo planejado; ou ainda escrever algumas cenas com um planejamento detalhado e outras no improviso. Um exemplo de escritor desse estilo é George R. R. Martin.

Autores planejadores-improvisadores têm os benefícios dos dois tipos de escrita, mas podem sofrer dos males duplamente. Precisam conhecer bem o seu processo de criação, para poder usufruir das vantagens e evitar as armadilhas dos dois extremos.

Plantsers também podem se utilizar de todos os recursos mencionados anteriormente, dependendo do nível de planejamento com o qual preferem criar. O importante para esses autores é entender os dois tipos de escrita e aplicar aquilo que funciona especificamente para ele.

Saber o tipo de escrita em que melhor se encaixa é de grande valia para um autor, pois assim entende o seu processo criativo e a melhor maneira de desenvolvê-lo.

Aqui, você conheceu os tipos de escrita, suas vantagens e desvantagens e recursos para cada um deles. A partir desse conteúdo, temos certeza que o tipo de escrita que melhor se encaixa para você ficou mais claro!

Quer evoluir ainda mais como autor? Confira 8 dicas para se tornar um escritor melhor.

Até a próxima!

Compartilhar

Outros Artigos

Saiba o que faz um editor de livros
Dicas de publicação

Editor de livros: quem é e o que faz?

A figura do editor de livros pode parecer um tanto nebulosa para muitos autores. Afinal, quem é esse profissional e o que ele faz? O

PUBLIQUE SEU LIVRO

Informe seus dados
para iniciar sua jornada
de publicação.
Um de nossos Consultores Editoriais
entrará em contato com você para
conversar melhor e explicar como
você pode publicar o seu livro!