Pular para o conteúdo
Monteiro Lobato

Monteiro lobato: Da série autores que inspiram a sua escrita

Iremos iniciar aqui no Blog da Editora Viseu uma série sobre autores brasileiros consagrados na cultura literária Brasileira, com o intuito de inspirar nossos leitores. Para o conteúdo desta semana, iremos abordar a vida e as obras de Monteiro Lobato.

Acreditamos que uma parte importantíssima do desenvolvimento de um escritor é a inspiração que ele busca.

As influências literárias que acatamos para nossa vida são essenciais para formar nossas aptidões literárias, bem como abrir nossa mente para o inimaginável mundo da ficção.

Monteiro Lobato sem dúvida é um dos escritores mais importantes da literatura brasileira, não só pelas obras famosas, mas pelo jeito singular de escrever e encantar os leitores.

Vamos então conhecer mais sobre este autor e sobre como ele impactou o mundo das letras?

Qual o verdadeiro nome de Monteiro Lobato?

Apesar de muitos conhecerem o autor pelo nome de assinatura em suas obras, o verdadeiro nome de Monteiro Lobato é José Bento Renato Monteiro Lobato

Quem é Monteiro Lobato?

monteiro lobato autor da literatura brasileiraMonteiro Lobato é um autor consagrado da literatura brasileira, famoso por obras como “A menina do nariz arrebitado” que retrata o popular Sítio do Pica-Pau Amarelo, dentre outros livros que ganharam grande relevância no cenário literário do Brasil.

Nascido em Taubaté (São Paulo) em 1882, no dia 18 de Abril, monteiro lobato atuou em diversas outras funções, além de ser escritor, como:

  • advogado
  • promotor
  • editor
  • ativista
  • tradutor brasileiro

 

Boa parte de suas produções foram no gênero infanto-juvenil, apesar de o autor ter escrito um romance para o público adulto: O presidente negro.

Quais as principais obras de Monteiro Lobato?

Monteiro Lobato teve maior parte de sua dedicação para o mundo de fantasias, ou seja, dedicou-se ao universo infanto-juvenil, por meio da criação de personagens icônicos que posteriormente foram eternizados pela dramaturgia brasileira.

Dentre as principais obras de Monteiro Lobato, estão:

  • Reinações de Narizinho (1931)
  • Caçadas de Pedrinho (1933)
  • O Picapau Amarelo (1939)

Todas as três obras possuem uma ligação de enredo, ou seja, as três narrativas partilham o mesmo tempo, espaço e personagens.

Como se desenvolveu a carreira de escritor do autor Monteiro Lobato?

Antes mesmo de criar suas obras inesquecíveis, Monteiro Lobato atuou como escritor em outros domínios, antes de se aventurar no universo fictício da Literatura.

A paixão pela literatura certamente iniciou com a influência de seu avô materno, o Visconde de Tremembé, que era dono de uma extensa biblioteca em sua casa.

Mesmo criança, Monteiro Lobato já desenvolvia contos que eram publicados nos periódicos escolares por onde estudou. Uma curiosidade muito intrigante sobre o autor é que aos 13 anos ele foi reprovado na disciplina Língua Portuguesa, mesmo sendo já um escritor que produzia conteúdo para 3 diferentes jornais.

Nesta idade, por meio de muita dedicação e contato com conteúdos internacionais, Lobato já dominava outros dois idiomas: inglês francês.

O autor escreveu ensaios e também atuou como tradutor, antes mesmo de se voltar à rotina acadêmica do direito, onde posteriormente se tornou promotor de justiça. Os primeiros contos de Lobato foram publicados em periódicos da época, ou seja, revistas e jornais que veiculavam notícias locais e nacionais.

Posteriormente, muitos desses contos foram reunidos no livro Urupês. Lobato ajudou a promover um grande impacto na literatura brasileira, não somente através de suas obras, mas também pelo fato de ter iniciado a edição de livros em território nacional.

Antes disso, as obras eram editadas somente em editoras de grande renome, como as parisienses e as portuguesas.

Neste período, Lobato passou a ter contato com o universo infantil por meio da edição de livros didáticos escolares. Por conhecer as particularidades desse público-alvo, Lobato era dono de uma escrita simples e objetiva, evitando construções densas e subjetivas que pudessem tornar a experiência de seus leitores algo difícil.

Alguns estudiosos, inclusive, o consideram como um dos precursores da literatura infantil no Brasil, uma vez que, na época, a maioria das produções eram voltadas para o público adulto.

Após essas experiências com o universo da escrita, Lobato criou obras que perpetuaram personagens como Narizinho, Pedrinho, a Vovó Anastácia e até mesmo a Vilã, a bruxa Keka.

Curiosidades sobre Monteiro Lobato

Separamos aqui algumas curiosidades a respeito da vida de Monteiro Lobato. Listamos então alguns fatos de sua vida que foram pouco explorados, mas que certamente influenciaram sua carreira, levando-o a ser um dos principais escritores até os dias atuais.

  • Monteiro Lobato foi  foi alfabetizado pela própria mãe (Olímpia Augusta Lobato)
  • O autor também atuou como desenhista e caricaturista, pois desenvolveu o talento pictórico juntamente com o linguístico.
  • Apesar de ter estudado Direito na Faculdade de Direito de São Paulo, o sonho acadêmico de Monteiro Lobato era o de estudar Belas Artes.
  • Atuou como comentarista e era aplaudido por sua postura sincera e transparente, dizendo sempre o que lhe vinha à cabeça, sem se importar com quem o reprovava.
  • Lobato também arriscou uma carreira como empreendedor, porém a atuação foi rápida. Mesmo estando à frente de uma indústria de geléias a qual criou em sociedade com um amigo, ele passou a atuar na promotoria de Taubaté, reorientando assim sua carreira.
  • Após a morte do avô (Visconde de Tremembé), Lobato herdou sua fazenda, para onde decidiu mudar-se e dedicar-se à lavoura e criação animal. Foi na fazenda Buquira que Monteiro Lobato reuniu inspirações para a criação de seus clássicos, cujo enredo tinha como pano de fundo também uma fazenda.
  • Monteiro Lobato também foi o criador de um dos personagens mais icônicos da literatura, o Jeca Tatu, inspirado nos caboclos que na época trabalhavam nos campos de lavoura.

Por que Monteiro Lobato é capaz de inspirar os autores da geração atual?

Ao ter um olhar mais cirúrgico sobre as obras de Monteiro Lobato, podemos tirar lições incríveis sobre escrita criativa e desenvolvimento de personagens.

As próximas seções serão dedicadas a pontos importantes da literatura de Lobato que podem servir de inspiração para autores da atualidade.

Construção de personagens icônicos

Certamente você já ouviu falar de Emília,  boneca de pano que morava no Sítio do Pica-Pau Amarelo. 

Essa boneca irreverente e corajosa conquistou crianças de várias gerações, sendo até inspiração para músicas.

A capacidade detalhada de atribuir pontos psicológicos dos personagens fazia com que Lobato desse vida quase real aos personagens, como a Emilia, por exemplo.

As falas da boneca exalavam seu próprio jeito de pensar e agir, e da mesma forma como o autor detalhou características psicológicas da boneca, Lobato também criou Narizinho, Pedrinho, Dona Benta, Tia Nastácia e Visconde Sabugosa, cada qual com sua personalidade.

Ao ler as histórias, é como se  o autor tivesse se transportado para o enredo, sendo capaz de verdadeiramente ter contato com os personagens, a ponto de descrevê-lo de uma forma tão vívida.

Essa característica deve ser um ponto alto de inspiração para autores de ficção. Mais do que apenas focar na direção do enredo e na sequência dos fatos, você precisa desenvolver os personagens, de modo que os leitores o vejam como uma pessoa real.

Quando você constrói um personagem com um caráter bem definido, você passa a criar um vínculo afetivo entre o leitor e o personagem, já que os leitores costumam fazer associações entre os elementos do livro, e suas próprias experiências reais.

Se você tem dificuldade em construir seus personagens, recomendamos que baixe nosso eBook sobre Como desenvolver personagens, que é um prato cheio para quem planeja escrever uma obra de ficção.

Por meio deste material você conseguirá fazer uma leitura singular de cada personagem, dando vida a ele por meio de uma construção psicológica.

Construção do tempo e lugar

Conforme foi mencionado em seções anteriores, a inspiração para criação do tempo e espaço retratados nos livros de Monteiro Lobato, vieram da própria fazenda na qual o autor passou a morar após a morte de seu avô.

Descrever um lugar com riqueza de detalhes ajuda você a transportar a mente do seu autor para o ambiente que você descreveu.

Essa capacidade de atribuir descrições sensoriais sobre o ambiente, ajuda você a concentrar a atenção do seu leitor para o espaço, que é um dos elementos mais importantes de um enredo.

Tenha em mente, você escritor, que o detalhamento do espaço, além de criar uma imagem pictórica na mente do seu leitor, faz com que ele crie um vínculo sentimental com o lugar a partir de suas próprias experiências.

O uso de elementos folclóricos

Um dos grandes pontos de inspiração encontrados na performance do autor Monteiro Lobato é a sua habilidade de explorar personagens do folclore brasileiro, como a mula sem cabeça, por exemplo.

Ao longo dos anos, lidamos aqui na Editora Viseu com milhares de autores de ficção que em um dado momento travam seu processo criativo por não saberem qual direção dar às suas obras e personagens.

Uma sugestão de ideia é estudar o perfil dos personagens do folclore, e quem sabe até questionar pessoas mais velhas que têm, muitas vezes, um repertório de outros personagens folclóricos locais que podem inspirar a criação de novas personas para a sua obra.

Temas sociais também podem servir como inspiração para novos enredos

Uma das obras mais icônicas de Lobato, apesar de não ser a mais reconhecida, é o romance “O presidente negro”, voltada para o público adulto.

Talvez, por sua forte influência na literatura infanto-juvenil, o romance não teve sua devida popularidade no cenário literário.

Contudo, o livro O presidente negro pode servir como uma intensa fonte de inspiração sobre como criar um enredo inspirado em fatos sociais.

A obra trata de um jovem que ao sofrer um acidente com seu automóvel, é socorrido por uma família que o leva para seus aposentos.

Ao aprofundar laços com esta família, o jovem descobre que eles detém uma máquina capaz de conduzi-los ao futuro e ao passado.

Ansiando ter experiências com a tal máquina, o jovem viaja no tempo até os EUA onde acontecia uma briga polarizada entre brancos e negros, de modo que o país ficara dividido e em guerra social (e racial).

Como você sabe, o país norte-americano foi um dos que mais propagou a divisão entre negros e brancos em estabelecimentos, fortalecendo assim uma cultura racista de ambos os lados.

Lobato se apropriou de um tema tão sensível e polêmico, capaz de atrair o olhar dos leitores para uma causa latente até os dias atuais.

Uma grande característica do livro “O presidente negro”, era o fato de que Lobato, mesmo vivendo nas primeiras décadas do XX,  tentava prever detalhes tecnológicos do futuro, descrevendo equipamentos e dispositivo que ainda nem haviam sido se quer planejados por inventores, como a televisão projetada na parede.

Quando você, escritor, passa a olhar para o futuro e imaginar como será a cultura e os hábitos de vida das pessoas, sua mente se abre para um prisma imaginativo sem fim.

Este então é mais um ponto de inspiração que Monteiro Lobato deixa como herança aos escritores da atualidade.

Monteiro Lobato e o fim de sua carreira como escritor

Após voltar dos Estado Unidos da América, onde morou por alguns anos, Lobato, inspirado pelo LifeStyle americano voltou para o Brasil na intenção de fortalecer a indústria petroleira no país.

Após a fundação de algumas empresas de petróleo, Lobato se desgastou com a nova rotina empreendedora, desenvolvendo assim problemas ligados à saúde.

Em 1948, aos 66 anos, Monteiro Lobato morreu após um episódio descrito como “espasmo cerebral”, 4 horas depois de dar uma entrevista na qual defendeu o slogan “O petróleo é nosso”.

Apesar de sua ausência como pessoa, Lobato permanece presente no universo literário através de seus personagens eternizados em suas obras que, posteriormente, alcançaram as telas das Televisões.

Além disso, a obra do autor inspira outras fanfics, que são ficções escritas com base em uma obra original.

Atualmente, você pode acessar o site do autor Monteiro Lobato, gerenciado por uma equipe que alimenta-o com conteúdos relacionados a trajetória do autor.

Compartilhar

Outros Artigos

PUBLIQUE SEU LIVRO
Informe seus dados
para iniciar sua jornada
de publicação.
Um de nossos Consultores Editoriais
entrará em contato com você para
conversar melhor e explicar como
você pode publicar o seu livro!