Pular para o conteúdo
Saiba quais as principais diferenças entre biografia e autobiografia

Biografia e autobiografia: diferenças, semelhanças e exemplos

Amadas por leitores de não-ficção por todo o país, as biografias e autobiografias são gêneros literários muito procurados, constantemente nas listas de mais vendidos. Mas, afinal, qual a diferença entre elas?

Contrário ao que muitos pensam, a autobiografia não é um tipo de biografia, tampouco vice-versa. São gêneros distintos, apesar de semelhantes, que possuem abordagens e estruturas completamente diferentes.

Apesar disso, para muitos autores ainda há certa confusão e dificuldade para visualizar exatamente o que difere uma da outra, inclusive nas próprias obras. Isso pode acarretar não só em uma escrita que não condiz com o gênero escolhido, mas também em uma divulgação incorreta e até mesmo enganosa do livro.

Neste artigo, guiaremos você pelas diferenças entre a biografia e a autobiografia, com exemplos de cada uma delas e um pequeno infográfico ao final para ajudá-lo a decidir entre a escrita de uma ou de outra. Fique com a gente e confira!

Biografia e autobiografia

O que é biografia?

A palavra biografia tem origem grega, sendo uma junção de “bio”, vida, e “grafia”, escrita. Desse modo, significa “escrita da vida”, ou seja, é o retrato da vida de uma pessoa narrado em texto. Reúne informações, entrevistas e documentos para contar as vivências de determinado indivíduo.

Assim como sua etimologia, as biografias são datadas dos tempos gregos e romanos, surgindo para documentar a vida de grandes nomes da antiguidade. Uma das primeiras obras biográficas conhecidas é Vidas paralelas, escrita pelo grego Plutarco em meados do século I d.C, que narra a vida de homens ilustres da Grécia e Roma Antiga.

Em casos de personalidades mais contemporâneas, as publicações podem ser autorizadas ou não pelas figuras públicas descritas. 

Apesar de relativamente comuns, é preciso muito cuidado ao se escrever uma biografia não autorizada, pois há a possibilidade de ferir a integridade do biografado e sua família, desencadeando um processo legal contra o autor.

Já em uma obra autorizada, é possível ter a certeza de que não haverá nenhum problema legal no futuro, mas o autor perde um pouco da imparcialidade e liberdade. Partes da obra podem até ser cortadas ou modificadas, alterando a narrativa de forma significativa. 

Características da biografia

Esses livros têm algumas características comuns, que os definem e diferenciam de outros gêneros literários. São elas:

Narra a história de vida de outra pessoa 

Essa é uma das principais características de uma biografia, definindo-a. Ela deve sempre narrar a história de vida de outra pessoa, compilando informações para criar uma obra com embasamento factual sobre a história do biografado. 

Escrita em terceira pessoa

Justamente por se tratar do relato da vida de outro indivíduo, esse tipo de narrativa é invariavelmente escrito em terceira pessoa.

Assim, o escritor coloca-se como alguém de fora, um observador e pesquisador, sem participar ativamente da história e mantendo certa distância dos acontecimentos.

História de pessoas públicas

Esse tipo de livro normalmente foca em figuras públicas, cujas ações, feitos e história têm uma grande importância e impacto social.

Isso não apenas porque os leitores tendem a ler sobre a vida de pessoas que reconhecem, mas também como evidência no caso de publicações não autorizadas, como argumento da relevância da obra para a sociedade.

Mais de uma perspectiva

A narração em terceira pessoa abre a possibilidade desses livros trazerem diversos pontos de vista sobre os biografados, que é frequentemente explorada.

Assim, oferecem um perfil mais completo dos sujeitos retratados, além de maior confiabilidade para os fatos, pois contam com diversas fontes para verificá-los.

Se utiliza de entrevistas, documentos e imagens

Entrevistas, documentos, entradas de diário, fotos e notícias são elementos muito presentes nessas publicações, servindo como guias para a narrativa.

São ainda mais importantes em obras que tratam de figuras históricas, utilizando muito ferramentas como o Google Acadêmico para as pesquisas do livro. Através dessas pesquisas, assegura-se a factualidade do que está sendo narrado.

Exemplos de biografia

Para ajudar a visualizar as características dessas obras de forma mais prática, aqui estão alguns exemplos de biografias que você pode estudar:

  • Leonardo da Vinci, de Walter Isaacson | um dos artistas mais conhecidos do mundo, esse livro conta a vida do renascentista Leonardo da Vinci desde seu nascimento a sua morte, passando por seus feitos na pintura, escultura, ciência, teatro, arquitetura e engenharia.
  • Tarsila: sua obra e seu tempo, de Aracy A. Amaral | um dos grandes nomes do modernismo brasileiro, essa obra conta a história de vida da artista Tarsila do Amaral, focando na década de 20 e seus movimentos artísticos.
  • Silvio Santos: a biografia, de Márcia Batista e Anna Medeiros | um dos maiores comunicadores do país, dono de diversos bordões da televisão brasileira, esse livro conta a trajetória de Silvio Santos, nascido Senor Abravanel, até a conquista de seu império midiático.
  • Oppenheimer: o triunfo e a tragédia do Prometeu americano, de Kai Bird e Martin J. Sherwin | considerado o pai da bomba atômica, este livro narra a história de vida do físico J. Robert Oppenheimer, passando por seus anos liderando o projeto Manhattan até sua perseguição pelo governo americano em seus últimos anos de vida.
  • Frida: a biografia, de Hayden Herrera | uma das mais icônicas artistas latino-americanas, essa obra narra a vida dessa pintora conhecida, abordando não só sua história, como também trazendo análises de seus quadros.

O que é autobiografia?

A palavra autobiografia deriva da palavra biografia, mas vem de uma época distinta. O termo surgiu bem mais tarde, por volta de 1797, unindo o prefixo “auto”, si mesmo, à “biografia”. Dessa maneira, significa a “escrita da vida de si mesmo”, sendo o retrato da vida de uma pessoa narrado por ela mesma.

Apesar do termo só ter surgido no fim do século XVIII, livros autobiográficos já existiam na antiguidade, como um modo de registrar as próprias histórias e contribuições para a sociedade. 

O livro Confissões, de Santo Agostinho, é considerado a primeira autobiografia ocidental, escrita no meio do século X. Na obra, ele conta sua vida antes de se tornar religioso e sua jornada de conversão ao catolicismo.

A autobiografia é, por natureza, autorizada pelo autobiografado, mas muitas vezes não é escrita por ele. Uma prática comum é contratar um ghost writer para realmente escrever o livro. A pessoa retratada fornece suas lembranças, informações e ponto de vista a esse escritor, que transforma tudo isso em uma narrativa coesa e envolvente.

Afinal, escrever uma autobiografia não é uma tarefa fácil. Muitas celebridades e figuras públicas possuem uma história de vida que daria um ótimo livro, mas não têm as habilidades de escrita necessárias para escrevê-lo. Contratar alguém com essa capacidade é uma maneira de contornar isso, mas manter controle sobre a própria história.

Características da autobiografia

Obras desse gênero literário também têm alguns aspectos característicos, que as configuram como pertencentes a esse nicho. São eles:

Narra a própria história de vida

Esta é a propriedade que define uma autobiografia: ela deve ser a história de vida contada por quem a viveu na pele.

Essas publicações são pautadas quase que inteiramente nas memórias e lembranças de seus autores, contando os acontecimentos de uma maneira mais subjetiva, ainda que factual.

Escrita em primeira pessoa

Por ser a história narrada na voz de seu próprio protagonista, livros desse gênero são escritos em primeira pessoa.

Assim, o autor utiliza um dos três tipos de narradores, o narrador personagem, para se colocar como protagonista, não só se aproximando como se inserindo na história, participando ativamente da narrativa e dos seus acontecimentos.

Histórias de pessoas diversas

Apesar de existirem muitas autobiografias de pessoas famosas e renomadas, é mais fácil encontrar nesse gênero literário histórias de pessoas “comuns”.

Afinal, para escrever um livro desse gênero basta ter uma história de vida própria e vontade de contá-la, ao passo que, em biografias, é necessário pelo menos mais uma pessoa interessada na sua jornada.

Uma única perspectiva

Devido a sua própria natureza, essas obras contam apenas com o ponto de vista de seus autores, focando em seus pensamentos e sentimentos durante a história.

Reflexões sobre os acontecimentos de sua vida também são recorrentes, oferecendo uma visão mais pessoal e aprofundada do biografado, ainda que limitada a essa única perspectiva.

Se utiliza de memórias, recordações e lembranças

Apesar de também utilizar documentos como fotos, notícias e até mesmo entrevistas, o que guia uma narrativa autobiográfica são as próprias memórias de seu autor.

Sendo assim, lembranças, pensamentos e recordações são a base dessas publicações, que também seguem os fatos, mas de uma maneira mais subjetiva e particular.

Exemplos de autobiografia

  • Minha história, de Michelle Obama | a primeira mulher negra a se tornar primeira-dama dos Estados Unidos revisita sua história, contando desde sua infância até sua época como moradora da Casa Branca.
  • Rita Lee: uma autobiografia, de Rita Lee | a irreverente cantora brasileira conta sua história, passando por seus primeiros anos, seu começo artístico, sua prisão durante a ditadura militar e seu casamento, com muita pessoalidade.
  • Amigos, amores e aquela coisa terrível: as memórias do astro de Friends, de Matthew Perry | o ator da famosa série americana Friends abre sua vida para o mundo, narrando desde sua infância até os tempos de celebridade, abordando sua luta contra o vício.
  • Nelson Mandela: longa caminhada até a liberdade, de Nelson Mandela | ganhador do Nobel da Paz, a personalidade política e líder do movimento antiapartheid conta sua história, relembrando sua infância e sua jornada de luta política.
  • Autobiografia: minha vida e minhas experiências com a verdade, de Mohandas K. Gandhi | o líder indiano conta a história de sua luta sem violência pela liberdade de seu país, abordando seus valores de não agressão e seu comprometimento com a paz.

 

Biografia ou autobiografia: qual escolher?

Saber escolher em qual gênero literário escrever é uma dificuldade que aflige muitos autores. Se você está em dúvida entre apenas dois, já é um grande avanço! Confira aqui um infográfico para te ajudar a escolher entre a biografia e a autobiografia:

Infográfico para judar na escolha entre biografia ou autobiografia

Como você pode ver, apesar de serem semelhantes, existem muitas diferenças entre uma biografia e uma autobiografia. A partir deste artigo, esperamos que a distinção fique mais evidente para você, tornando a escolha entre as duas mais fácil.

A vontade de escrever e a escolha entre os gêneros literários é apenas o começo de sua jornada como autor. Confira aqui um guia de como escrever um livro para saber quais serão seus próximos passos.

Continue acompanhando o Blog da Viseu para mais conteúdos sobre escrita, publicação, notícias do mercado editorial e marketing para autores. Nos vemos no próximo post!

Compartilhar

Outros Artigos

Protagonista: saiba por que ele é fundamental para sua história
Dicas de escrita

Protagonista: como fazer seu personagem principal brilhar

A criação de personagens é uma grande dificuldade entre autores. Muitas são as questões às quais se atentar: verossimilhança, profundidade, falas, personalidade… Esses pontos se

PUBLIQUE SEU LIVRO

Informe seus dados
para iniciar sua jornada
de publicação.
Um de nossos Consultores Editoriais
entrará em contato com você para
conversar melhor e explicar como
você pode publicar o seu livro!