Pular para o conteúdo
narrador | Jovem mulher está escrevendo com um lápis e com olhar pensativo

Narrador: quais os 3 tipos e como utilizá-los

O narrador dentro de um enredo tem o papel importantíssimo de ligar as cenas, as falas e os sentimentos presentes na obra.

Você provavelmente vai encontrar muitas obras compostas por falas, apenas, onde a narração não aparece como um intermédio entre os elementos do enredo.

Contudo, as obras que mais aproximam o leitor do autor são aquelas cuja narração possui uma profundidade capaz de detalhar tudo aquilo que, para os leitores, é abstrato.

Para você que escreve ficção, romance, contos ou qualquer outro gênero literário que envolva narração, é interessante conhecer os três diferentes tipos de narrador.

Elaboramos este conteúdo como mais uma fonte de dicas e insights literários para escritores que querem aperfeiçoar sua escrita.

Continue conosco, e certamente você vai findar este artigo dominando os conceitos sobre narração, aplicando assim em sua obra.

Índice do Artigo

O que é narrador?

Narrador é a voz que conta a história a partir de um ótica superior, ou seja, enquanto no plano inferior estão os personagens, conflitos, desfechos e todos os demais elementos de um enredo, o narrador está acima, conectando todos esses elementos e estabelecendo lógica linear para que o leitor acompanhe a obra.

Quais os tipos de narração?

Existem 3 tipos de narração nas quais  o narrador assume uma postura de linguagem diferente em um:

  1. Narrador Onisciente
  2. Narrador Observador
  3. Narrador Personagem
 

Nas seções a seguir vamos abordar sobre cada um desses tipos de narrador.

Narrador Onisciente: o que é?

Narrador onisciente é aquele que participa de todas as camadas do enredo, desde os pensamentos e sentimentos do personagem até os detalhes do passado, presente e futuro. 

Apesar de ter suas impressões de forma intrínseca na obra, o narrador onisciente não participa do enredo, por isso sua postura de linguagem é expressa em 3ª pessoa.

Isso significa dizer que, apesar de estar dentro da mente dos personagens, o narrador ainda se porta como um elemento externo da narrativa, ou seja, que não participa dos contextos de interação (falas).

narração onisciente, como o próprio nome diz, conhece a mente, as intenções e descreve as emoções dos personagens, ou seja, não há segredos para o leitor.

Todas as cenas presentes em uma narrativa com narrador onisciente tendem a ser extremamente detalhadas, e de certa forma, garantem um vínculo maior do leitor com o personagem.

Isso acontece porque mais do que apenas detalhar as ações de um personagem, o narrador onisciente tem a capacidade de explicar o porquê, bem como as emoções que motivaram as ações do personagem.

O narrador onisciente vai dar ao leitor uma  leitura orientada da obra, ou seja, por ser onisciente e por justificar as ações dos personagens, o narrador onisciente é capaz de conduzir o leitor a partir de sua ótica.

Um obra com este tipo de narrador dificilmente vai deixar a interpretação à mercê do leitor.

Narrador observador: o que é?

narrador observador é aquele que descreve a história com um olhar analítico dos fatos, porém sem saber detalhes sentimentais, ou emoções internas dos personagens.

É basicamente como uma pessoa que testemunhou os fatos e decidiu registrá-los.

Este tipo de narração também possui uma postura de linguagem em 3ª pessoa, similar ao narrador onisciente.

A tendência desse tipo de narração é deixar a interpretação total do enredo pela autonomia do leitor, já que a narração mantém-se neutra em relação aos fatos descritos.

Nessa narração, o conteúdo é meramente descritivo, tendo a finalidade de conectar cenas, falas e conflitos.

Narrador personagem: o que é?

O próprio nome já revela a essência desse tipo de narrador: Personagem, ou seja, neste caso o narrador participa do enredo como um dos personagens, podendo ou não ser o personagem principal.

Por participar ativamente da narrativa, o narrador personagem geralmente conduz  obra de acordo com suas impressões pessoais, levando o leitor a ter uma leitura orientada de acordo com sua ótica.

Obviamente, por se tratar de um narrador personagem, a postura de linguagem adotada para narração é em 1ª pessoa (EU), pelo fato de o narrador se incluir no discurso enquanto descreve os fatos.

Qual a função da narração em um enredo?

O narrador tem a função de conectar todos os elementos do enredo para formar as etapas da história contada, porém, nem sempre ele funciona apenas como um elemento neutro da narrativa.

É comum encontrar em algumas obras uma narração intrusa, ou seja, quando o narrador oferece suas opiniões e impressões ao leitor ao longo da obra.

Isso ocorre basicamente em obras cujo o narrador é o centro do enredo, ou seja, toda a história é narrada a partir de sua própria ótica sobre todos os acontecimentos.

Nesse sentido, o narrador possui a função de orientar ou influenciar a leitura, fazendo com que os leitores leiam e interpretem os fatos utilizando sua mesma ótica.

Quais gêneros literários utilizam a figura do narrador?

Os gêneros literários mais ligados à construção de enredo geralmente são os que utilizam a figura do narrador.

Entendemos que enredo é um conjunto de elementos composto por:

  • História (dividida em etapas)
  • Personagens
  • Conflitos
  • Clímax
  • Desfecho
 

Os gêneros literários que estão estruturados sob um enredo são:

  • Romance
  • Ficção
  • Contos
  • Fábulas
  • Autobiografia
  • Biografia
 

Independentemente se as histórias que estão sendo contadas são reais ou não, um texto narrativo conta com uma “voz” terceira que liga os fatos apresentados no enredo.

Os gêneros literários que não estão estruturados sob um enredo são:

  • Poesias
  • Sonetos
  • Teatro (organizado apenas em falas)
  • canção
 

Os gêneros literários acima apenas apresentam versos ou falas, dando ao leitor a autonomia para fazer as conexões de interpretação.

Como utilizar cada tipo de narração?

Os três tipos de narração que abordamos anteriormente possuem suas características próprias, desde postura de linguagem, até questões de profundidade na construção dos personagens.

Com base nos conceitos que já abordamos sobre cada tipo de narrador, cabe nas próximas seções abordaremos sobre como utilizar cada tipo dentro de um texto narrativo.

Antes disso, você precisa ter certeza de uma coisa. A figura do narrador não é um regra, mas sim um estilo de construção de narrativa. 

É possível construir sua ficção com base em falas, apenas, ou seja, sem a presença de uma narração que conecte os elementos e as etapas do enredo.

Como escrever um texto com narrador onisciente

Tudo parte da forma como você constrói os personagens da sua narrativa. Se você é do tipo de escritor que costuma planejar os elementos da história que você vai escrever, fica mais fácil desenvolver uma narração onisciente.

Se você não tem o hábito de planejar, recomendamos a leitura deste artigo que fala tudo sobre a construção de personagens.

Vamos então à primeira dicaConstrua seu personagem detalhando todas as suas particularidades psicológicas.

Ao planejar o perfil de um personagem, você precisa ir muito além de descrever suas características físicas e sociais (nome, idade, aparência, status social, residência, etc). 

Você precisa  ir além, detalhando informações como:

  • Reações
  • Temperamento
  • Tendências de pensamento
  • Comportamento com as demais pessoas (personagens do enredo)
  • Segredos
 

Na medida em que você cria um vínculo com seu personagem a partir do planejamento de seus detalhes emocionais, fica mais fácil para você realizar uma narração onisciente, conduzindo o leitor a entender os detalhes mais sentimentais do personagem.

segunda dica é: Mantenha sua postura de linguagem narrativa em 3ª pessoa.

Por ser um estilo de escrita tão psicológico e centrado em particularidades emocionais dos personagens, cuidado para não se confundir e orientar sua escrita para uma narração personagem, ou seja, onde o narrador se inclui como  personagem na narrativa

terceira dica é: Não misture narração onisciente como narração observadora.

Talvez por falta de atenção, é comum alguns autores iniciarem suas escritas com um tipo de narração psicológica, ou seja, que conhece a mente dos personagens, e mudar  postura narrativa de acordo com o desenvolvimento da obra, tornando-se observador.

Se você agir dessa forma, poderá confundir o leitor, pois em um momento você se mostra totalmente imerso na mente do personagem, e em outro momento você passa a não entender suas reações e pensamentos.

quarta dica é: Use e abuse dos detalhes

Por se tratar de uma narração psicológica, você tem ao seu favor a possibilidade de detalhar emoções e pensamentos do personagem. 

Quanto mais detalhista você for, mais vai conseguir fazer seu leitor se identificar com a história do personagem.

Como escrever um texto com um narrador observador

Neste tipo de narração, você também pode ser muito detalhista, porém é necessário tomar certo cuidado para que os detalhes não ultrapassem os limites do observável.

Lembre-se acima de tudo do conceito que abordamos anteriormente: a narração observadora é como se fosse um olhar terceiro analisando o enredo de fora para dentro.

Este tipo de narração não conhece as particularidades mentais de seus personagens. É como se fosse uma pessoa formando opiniões com base no que vê.

Mantenha sua postura narrativa, descrevendo detalhes que apenas podem supor os sentimentos dos personagens, mas nunca afirmando o que eles sentiram e pensaram.

Mesmo não tendo a necessidade de mostrar ao leitor os pensamentos do personagem, o narrador observador pode sim construir um planejamento de seus personagens para entendê-los e assim orientá-los no enredo.

Para isso, criamos  um template que ajuda você a como desenvolver personagens.

Criar personagens - Editora Viseu

Como escrever um texto com um narrador personagem

Este tipo de narração é basicamente uma das mais fáceis de se construir em termos de performance escrita, pois o próprio autor assume a função de escrever como se estivesse falando de si mesmo (1ª pessoa).

O único cuidado que ressaltamos ao escrever uma obra na qual você, ou o personagem é o narrador, é para não misturar as posturas de narração ao longo da obra, ou seja, iniciar como um narrador personagem, e desenvolver a obra como um narrador onisciente.

Este tipo de narração assemelha-se muito à narração onisciente, pelo fato de que o “EU” da narração tem a capacidade de falar sobre si mesmo na perspectiva psicológica.

Mesmo tendo propriedade para revelar detalhes sobre o próprio personagem, o autor precisa entender que o texto precisa continuar em 3ª pessoa para que o leitor não faça confusão no decorrer da narrativa.

Conclusão

Tudo o que foi mencionado neste artigo está ligado ao enredo, que é um elemento chave de qualquer narrativa.

No fim das contas, o que separa os tipos de narração é a pessoa gramatical com a qual se escreve o conteúdo, e a descrição dos detalhes psicológicos dos personagens.

Para ter uma boa escrita, ou para melhorar aquilo que você já produziu, é interessante observar os pontos mencionados neste artigo.

Se você pretende publicar um livro, já possui uma obra finalizada, e apenas precisa de uma revisão qualificada para observar detalhes como esses que mencionamos neste conteúdo, converse como o Time de Editores da Editora Viseu.

Uma revisão qualificada especializada em literatura é capaz de ajudar você a lapidar sua obra e encontrar possíveis falhas em relação a estrutura da sua narração.

Sempre recomendamos que nossos autores realizem uma terceira ou quarta revisão para garantir detalhes como a narração, que são determinantes para que um leitor se identifique ou não com a obra.

Se você gostou deste conteúdo, não deixe de comentar aqui embaixo com sua  opinião. Estamos à disposição para o caso de dúvidas sobre o conteúdo.

Compartilhar

Outros Artigos

PUBLIQUE SEU LIVRO
Informe seus dados
para iniciar sua jornada
de publicação.
Um de nossos Consultores Editoriais
entrará em contato com você para
conversar melhor e explicar como
você pode publicar o seu livro!

REDES SOCIAIS

VISEU EDITORES Copyright © 2022. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por OIRAMC