Pular para o conteúdo
5 dicas para escrever um bom epílogo

Epílogo: como fechar seu livro com estilo

A conclusão de um livro é um dos momentos mais significativos dentro de uma narrativa. É a última impressão que fica para o leitor, impactando muito sua experiência geral com a obra.

Caso o autor opte por incluí-lo, o epílogo pode ser a chave de ouro que fecha uma história. Ainda assim, são poucos os autores que conhecem e utilizam esse recurso, menos ainda os que o fazem de maneira satisfatória e significativa.

Pensando nisso, neste artigo explicaremos o que exatamente é o epílogo, para que serve e como fazer um, com dicas e exemplos. Se você sempre quis utilizá-lo para finalizar um livro, mas nunca soube como, fique com a gente e confira! 

Epílogo: como fechar seu livro com estilo

O que significa epílogo?

A palavra tem origem no grego, epílogos, que significa “conclusão”. Não por acaso, é uma parte inerente da estrutura de epopeias gregas, finalizando obras como Ilíada e Odisseia

Ele é o oposto do prólogo, sendo a parte final de uma obra literária. É um desfecho que vem depois do final principal, agindo para saciar aquele sentimento de “e agora?” que surge ao fim de um livro.

Qual a diferença entre epílogo, posfácio e agradecimentos?

Apesar de todos esses elementos se encontrarem no final de um livro, são coisas diferentes, com finalidades distintas:

  • Posfácio: não faz parte da narrativa, texto explicativo onde o autor pode falar sobre seu processo de escrita, suas decisões e conclusões pessoais sobre a obra.
  • Agradecimentos: não faz parte da narrativa, local onde o autor relembra e agradece às pessoas que foram significativas para sua jornada como escritor.
  • Epílogo: faz parte da narrativa, finaliza a história e não é utilizado para expressar a voz direta do autor.

 

Para que serve o epílogo?

O epílogo pode ter muitas funções em uma obra. É uma ferramenta poderosa para manter o leitor envolvido até os momentos finais do livro. Algumas razões para incluir esse elemento na sua narrativa são:

Fechamento da história

Utilizar esse recurso proporciona um final mais arredondado para a história. Pode ser utilizado para amarrar pontas soltas e tapar buracos da trama, proporcionando uma sensação de encerramento mais satisfatória para o leitor.

É um modo de responder a diversas perguntas que podem surgir ao final de um livro. Permite que os leitores revisitem seus personagens favoritos após os acontecimentos da narrativa, saciando a vontade de ver o que aconteceu a eles.

Apresentar continuações

Se você quer escrever uma trilogia ou uma série de livros, também é um ótimo modo de plantar sementes para futuras obras. Assim, você prepara tanto seu universo e personagens quanto o leitor para uma sequência.

Através da inserção de ganchos em seu final, você atiça a curiosidade do leitor, fazendo com que ele queira ler a continuação. É uma ótima maneira de despertar teorias e mantê-lo engajado, ansiando pelo lançamento do próximo livro.

Reflexão sobre a obra

Através dessa ferramenta, você pode relembrar os temas do seu livro e reforçá-los. Serve como uma conclusão para sua obra, retomando a mensagem principal que você quer passar com sua escrita.

Assim, a temática do seu livro se fortalece, impactando ainda mais o leitor. É um modo de fazê-lo pensar sobre o que experienciou com o livro até o último momento, refletindo sobre a obra como um todo.

Desenvolvimento de personagens

O epílogo é um ótimo modo de desenvolver seus personagens ainda mais. Através dele, você mostra o impacto que os acontecimentos do livro tiveram sobre eles e suas vidas. Assim, tornam-se mais realistas, indo além do final da história.

Os personagens podem estar muito diferentes do início do seu livro, por exemplo, trazendo um paralelo interessante para a história. Essa finalização serve para escancarar ainda mais a evolução e desenvolvimento pelo qual eles passaram durante a narrativa.

Conexão prolongada com o leitor

O final é uma das partes mais lembradas de um livro. É com ele que você se despede de seus personagens e história, mas também do seu leitor. Uma conclusão bem construída pode ter uma carga emocional muito grande.

Serve como um ponto a mais de conexão, para que a história continue ecoando além das páginas. Pode tornar um livro muito memorável, tendo um impacto mais profundo em seus leitores.

Como fazer um epílogo? 5 dicas para fechar seu livro com maestria

Agora que você já sabe o que é um epílogo e para que ele serve, deve estar se perguntando como aplicá-lo na sua história. Aqui estão 5 dicas práticas para ajudá-lo:

1 – Faça um pulo temporal

Mostrar como estão os personagens meses ou até mesmo anos após os acontecimentos do último capítulo é uma ótima maneira de utilizar esse recurso. Isso dá ao seu leitor a sensação de acompanhar seus personagens amadurecendo.

Além disso, permite que sua história permaneça um pouco mais com o leitor. Os personagens e acontecimentos devem continuar fiéis a seu progresso na trama, com decisões e consequências compatíveis com o final da obra.

2 – Surpreenda seus leitores

Apesar de ser importante manter um caminho coeso com a história, não seja óbvio. Se o epílogo for muito previsível, sem nenhuma surpresa para o leitor, ele pode se tornar monótono e até mesmo desnecessário.

Insira algum elemento que surpreenda seus leitores, expandindo o mundo que criou para eles. Amarre as pontas da sua história de um modo satisfatório, mas também traga informações novas e interessantes para a trama.

3 – Coloque indícios de uma continuação

Como mencionado, o epílogo é o local perfeito para plantar sementes de uma série de livros. Você pode apresentar um personagem novo que será importante no futuro, dar indícios de um mistério ou segredo ainda não revelado ou ainda iniciar uma ação que terá graves consequências mais adiante.

Atenção: é importante ter um guia de narrativa para não se perder em sua própria história colocando elementos que não vão fazer sentido depois. Pense bem em cada detalhe do seu final, para que o leitor não fique decepcionado ou sem respostas no decorrer da série.

4 – Utilize outro ponto de vista

Utilizar outro ponto de vista é uma ótima maneira de trazer algo diferente para seus leitores no final. Caso tenha contado a história sobre um único ponto de vista, experimente apresentar o final por outros olhos.

Assim, a conclusão torna-se memorável e diferente do restante da obra. Essa técnica pode causar um grande impacto nos seus leitores, mudando até mesmo o modo como enxergam os personagens e a história como um todo.

5 – Mantenha o mistério

Nem sempre um epílogo é necessário. Caso sua história necessite um final aberto ou uma sensação de mistério, talvez incluir esse recurso em seu livro não seja uma boa opção para você. É necessário saber bem quando aplicá-lo, mas também quando não aplicá-lo.

Às vezes, é justamente o futuro incerto dos personagens de uma obra que ressoam mais alto nos leitores. Leve em consideração o que fará mais sentido dentro de sua obra. Você pode apresentar aos seus leitores beta e alfa duas versões do final, por exemplo, e ver qual versão teve o maior impacto.

Exemplos de epílogos

Para que você possa visualizar melhor como autores renomados utilizam essa ferramenta, aqui estão alguns exemplos de obras com epílogos:

  • Jogos Vorazes, de Suzanne Collins: ao final do terceiro livro da saga, a autora mostra a protagonista Katniss se reerguendo ao lado de Peeta após os acontecimentos do último livro. É uma conclusão que mostra o futuro dos personagens, tendo uma grande carga emocional
  • Os Lusíadas, de Luís de Camões: seguindo a estrutura das epopeias que inspiraram a obra, esse poema épico também conta com um epílogo. Nele, o autor lamenta a condição da nação portuguesa, fazendo uma reflexão sobre seu país e desejando ter sua voz ouvida pelo governante português
  • Harry Potter, de J. K. Rowling: ao final da saga de sete livros, a autora apresenta o futuro de Harry e seus amigos sobreviventes. Mostra os filhos dos personagens embarcando no trem para a escola de magia, com seus pais amadurecidos ao seu lado, em um paralelo emocionante
  • Moby Dick, de Herman Melville: esse clássico da literatura também se utiliza do recurso. Nele, é explicado o que acontece ao narrador do livro, Ishmael, após a batalha de três dias entre a baleia branca e o capitão Ahab. Serve para amarrar as pontas soltas da história, deixando mais claro como o narrador sobreviveu para contar a história

 

O epílogo é, de fato, uma ferramenta muito poderosa. Tem diversas funções dentro de um livro, podendo manter o leitor engajado, aprofundar sua conexão emocional com a obra e até mesmo preparar o terreno para novos lançamentos.

A partir desta leitura, com certeza você está mais capacitado para fechar seu livro com chave de ouro! Esperamos que, com essas dicas, você consiga alcançar o final desejado para sua história.

Agora que já sabe como finalizar sua obra, é hora de planejar como apresentá-la ao mundo. A publicação do seu livro pode estar mais próxima do que imagina. Não deixe de nos enviar seu original para receber uma proposta de publicação personalizada, a partir de uma análise do seu material por nosso time de editores.

Esperamos por sua história de portas abertas!

Compartilhar

Outros Artigos

Protagonista: saiba por que ele é fundamental para sua história
Dicas de escrita

Protagonista: como fazer seu personagem principal brilhar

A criação de personagens é uma grande dificuldade entre autores. Muitas são as questões às quais se atentar: verossimilhança, profundidade, falas, personalidade… Esses pontos se

PUBLIQUE SEU LIVRO

Informe seus dados
para iniciar sua jornada
de publicação.
Um de nossos Consultores Editoriais
entrará em contato com você para
conversar melhor e explicar como
você pode publicar o seu livro!