Pular para o conteúdo
Entrevista Alba Maranhão, autora do livro A Descoberta de Aurora

Autora de “A Descoberta de Aurora”, Alba Maranhão conta sobre seu processo criativo

Pernambucana de Recife, a autora Alba Maranhão tem parte da sua vida dedicada à docência e aos estudos. Graduada em sociologia, com mestrado em antropologia, fez do conhecimento uma forma de ganhar a vida e de crescer na vida. 

No fim de 2023, ela lançou o livro “A Descoberta de Aurora”, um romance envolvente que nos convida a refletir sobre o que a ciência e os mistérios da vida tem a nos dizer.

Na narrativa, a professora Aurora é incumbida por um ex-aluno de avaliar um antigo manuscrito. O material pertencia ao avô do jovem que havia falecido recentemente. Confiando no discernimento de Aurora, o rapaz pede à ela uma leitura cuidadosa e atenta do conteúdo. 

Mal sabia a docente que um velho manuscrito com o título “Bem vindo ao mundo da Astrologia, dos Mitos e dos Símbolos” transformaria seu jeito de ver e de pensar a vida.

Nesta entrevista, Alba Maranhão conta sobre o processo criativo que levou a escrita de “A Descoberta de Aurora”, bem como suas influências literárias, o contexto de produção da obra e muito mais. Confira!

1. Como a astrologia serve como ferramenta para o autoconhecimento na jornada de Aurora e qual é a sua visão pessoal sobre a relação entre astrologia e autoconhecimento?

A astrologia tradicional não trata de mostrar o futuro das pessoas. Ela não é uma adivinhação. No entanto, é uma ciência que, através do Mapa do Céu ou Astral, mostra as tendências do indivíduo para a sua vida (profissão, casamento, relação social,…) dando assim subsídio para o autoconhecimento.

2. Quais foram suas maiores influências literárias ao escrever “A Descoberta de Aurora”? Há algum autor ou obra específica que inspirou a criação de Aurora?

Foram muitos livros que pesquisei para fundamentar o meu trabalho, por exemplo: “Trivium  Quadrivium”, de Amâncio Friaça; “O Retorno dos Astrólogos” de Edgar Morin; “A Sola do Sapateiro” de Gilbert Durand; “Manifesto Astrológico” de Patrice Guinard, entre outros.

 

3. Como você construiu a complexidade da personagem Aurora, especialmente em relação às suas inquietações internas e busca por conhecimento?

Na verdade, essa busca pelo conhecimento foi inspirada em mim mesma e pela própria vivência como professora e pesquisadora.

4. Qual foi o desafio de tecer a realidade da pandemia de COVID-19 na trama? Como isso afetou a narrativa e o desenvolvimento dos personagens?

Estava escrevendo o livro quando surgiu a pandemia de Covid-19. Portanto, vivi todo o problema, com mortes de amigos e parentes, isolamento, impedimentos e outros fatores que foram incluídos na história e na construção de personagens.

5. O livro explora a interseção entre ciência, espiritualidade e religião. Como você equilibrou esses elementos sem favorecer um sobre os outros na narrativa?

Procurei deixar claro que a astrologia tradicional não é religião. Ela é um meio que possibilita o autoconhecimento do indivíduo. Assim, quanto mais aprendermos sobre nós mesmos, mais melhoraremos como pessoa. Gosto muito de uma frase de Sócrates que diz: “quanto mais nos conhecemos, mais perto de Deus ficamos”.

6. Pode nos contar um pouco sobre o seu processo de escrita? Como você equilibra pesquisa e criatividade ao desenvolver seus romances?

Apesar de eu ter um histórico de professora e pesquisadora, com experiência em trabalhos acadêmicos, vi que não é tão fácil escrever um romance. Por isso, fiz um curso de escrita criativa para poder entender como é o formato e como se escreve um romance.

7. Qual é a principal mensagem ou sentimento que você espera transmitir aos leitores através de “A Descoberta de Aurora”?

Que cresçam como “ser” através do conhecimento e ampliem sua visão de mundo.

8. Por que você escolheu os ambientes específicos presentes no livro, como o Jardim Botânico, para a narrativa?

O Jardim Botânico é um lugar agradável, harmonioso para conversar tranquilamente, longe de olhares curiosos.

9. O livro aborda várias reflexões sobre a vida moderna. Como essas reflexões se conectam com suas próprias experiências ou observações do mundo contemporâneo?

Compreendo que o mundo está passando por grandes transformações sócio/culturais, onde a tecnologia e todo o cientificismo não conseguiram suprir todas as necessidades do ser humano.

O mundo está robotizando as pessoas, as quais não têm mais tempo para refletir e dialogar. Assim, achei necessário contribuir com esse livro para alertar que existem outros caminhos que nos levam a uma harmonização.

“A Descoberta de Aurora” está disponível em livrarias e plataformas online, sendo uma leitura obrigatória para quem busca um romance que oferece tanto entretenimento quanto iluminação.

Compartilhar

Outros Artigos

Protagonista: saiba por que ele é fundamental para sua história
Dicas de escrita

Protagonista: como fazer seu personagem principal brilhar

A criação de personagens é uma grande dificuldade entre autores. Muitas são as questões às quais se atentar: verossimilhança, profundidade, falas, personalidade… Esses pontos se

PUBLIQUE SEU LIVRO

Informe seus dados
para iniciar sua jornada
de publicação.
Um de nossos Consultores Editoriais
entrará em contato com você para
conversar melhor e explicar como
você pode publicar o seu livro!